Sociedade Bíblica Americana indica que Geração Z tem `relacionamento instável com a Bíblia´

 American Bible Society tem divulgado, nos últimos meses, capitulos do seu 11º relatório anual do Estado da Bíblia , que destaca as tendências culturais nos Estados Unidos em relação à espiritualidade e ao envolvimento com as Escrituras. Nesta terça-feira (10), a organização lançou o quinto capítulo do estudo, que aborda a relação da Geração Z (nascidos entre 1997 e 2015) com a Bíblia.

Até dezembro de 2021, a American Bible Society promete divulgar outros quatro novos capítulos da pesquisa Estado da Bíblia, que inclui relatórios sobre as visões e o uso das Escrituras entre as tradições e denominações da igreja e a relação entre a Bíblia, dinheiro e generosidade.

A recente publicação sobre os jovens da Geração Z, mostra que apesar deles não terem ainda uma sólida relação com a bíblia, exibem uma abertura dando à igreja a oportunidade de se envolver de forma significativa e intencional com eles. 

“A próxima geração de adultos americanos – Geração Z – está atualmente em um momento de profundo crescimento e mudança. Este estágio adulto emergente é marcado por transformações espirituais, físicas, sociais e psicológicas que definirão o cenário para o resto de suas vidas ”, disse John Farquhar Plake, PhD e Diretor de Inteligência de Ministério da Sociedade Bíblica Americana”.

Principais descobertas analisadas

O experimento foi conduzido pela Sociedade Bíblica Americana, em janeiro de 2021, com os dados de 91 jovens da Geração Z comparados a uma amostra maior de 3.354 adultos da Geração Z e Y (nascidos entre 1979 e 1995).

O estudo revelou que “um terço dos jovens da Geração Z (34%) são usuários da Bíblia, enquanto 43% dos adultos da Geração Z se qualificam. Comparativamente, a Geração Y tem uma porcentagem muito superior de usuários da Bíblia, aproximando-se da média nacional de 49%”.

A população atual entre 15 e 17 anos teria menor probabilidade do que os adultos da Geração Z ou da Geração do Milênio de estarem engajados nas Escrituras, pois apenas 9% dos jovens da Geração Z se qualificam como Comprometidos com as Escrituras, em comparação com 14% dos adultos da Geração Z e 23% da Geração Y.

Segundo o relatório, a pandemia do Coronavírus não influenciou um aumento de uso da Bíblia entre os adolescentes. Vinte e sete por cento dos jovens da Geração Z, 19% dos adultos da Geração Z, e 9% da Geração Y disseram que diminuíram o uso da Bíblia no ano de 2020.

No entanto, a Geração Z mostra uma abertura significativa para a Bíblia, 81% jovens da Geração Z e 74% dos adultos da Geração Z, se revelaram curiosos sobre as Escrituras. O interesse na leitura também esteve presente entre dois terços dos jovens da Geração Z (64%) .

O total de 53% dos jovens da Geração Z afirmaram que ainda não possuem um compromisso importante com Jesus Cristo. A porcentagem dos que se intitulam comprometidos, aumenta conforme a idade, o que indica que os atuais adolescentes podem vir a tomarem decisões religiosas significativas futuramente.

John Farquhar ressalta a importância da igreja apresentar a valiosidade das Escrituras aos jovens. “Muitos na Gen Z, porém, estão atingindo a maioridade sem a sabedoria e o conforto que outros encontraram na Bíblia. Mais do que outras gerações, a Geração Z não tem certeza sobre o valor e a singularidade da Bíblia para sua vida diária… A Bíblia oferece sabedoria para todas as gerações. Em vez de deixar a Geração Z recorrer a influenciadores seculares ou à cultura em busca de respostas para suas dúvidas e curiosidade, é nosso trabalho comunicar essa esperança e verdade com clareza”, destaca o diretor de Inteligência de Ministério da SBA.

Redação CPAD News/ Com informações American Bible Society – Foto: Pixabay.com

Rua Dr. Augusto Lopes Pontes, n°262
Costa Azul, Salvador – BA, 41760-035